Últimas Notícias

Comandante do 18º Batalhão de Polícia Militar de Catalão, Tenente Coronel André Luiz de Carvalho

A Polícia Militar de Catalão, revelou nesta semana, dados que apontam que os índices de violência estão diminuindo. Segundo reportagem da TV Anhanguera, comparando junho de 2018 com o mesmo prazo de tempo em 2019, notou-se uma redução de quase 65% nos crimes cometidos na nossa região, esse resultado colocou o 18º Batalhão de Polícia Militar no primeiro lugar na tabela que classifica os municípios conseguiriam o índice de criminalidade no Estado de Goiás.  O Comandante do Batalhão da PM de Catalão, Tenente Coronel André Luiz de Carvalho, disse que esse mérito deve ser divido com todos os órgãos de Segurança Pública do Estado de Goiás, e com Poder Judiciário.


Comparativo do mês de Junho do ano passado/ mês de junho deste ano. Foto: Divulgação da PM/Reprodução

“Nós temos que dividir esse mérito, não só com as forças de Segurança Estadual, como Polícia Civil, o próprio Corpo de Bombeiros, Polícia Técnico Científica, Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o Comando de Operações de Divisas (COD) que têm nos apoiado diuturnamente, como também os operadores do direito, que têm recebido os processos e feito o possível que a legislação permite, para que as pessoas presas pela Polícia Militar, pela Polícia Civil, ou seja, pelos órgãos de segurança continuem presas. Esse trabalho integrado, trouxe com certeza, esse resultado que podemos falar que foi fantástico”, disse o Comandante do 18º BPM de Catalão, Tenente Coronel André Luiz de Carvalho.



Comparativo de janeiro a junho do ano passado/ janeiro a junho deste ano. Foto: Divulgação da PM/Reprodução

Crimes mais comuns que ocorriam na cidade, como furto e roubo foram amenizados. Outro fator que ganha destaque, é combate ao tráfico de drogas.“Sabemos que esse crime, o tráfico de drogas, fomenta outros delitos. Fomenta o furto, roubo, o homicídio, e dentre outros fatores”, destacou o Tenente Coronel Carvalho.


Fonte: Blog do Badiinho Filmagem e reportagem: TV Anhanguera de Catalão



A carta surpreendeu o partido que, no atual momento, aprofunda o debate a respeito de possíveis expulsões na legenda de parlamentares que apoiaram a candidatura de Ronaldo Caiado (DEM), ao governo de Goiás ano passado

O prefeito de Goiânia Iris Rezende escreveu uma carta aberta ao presidente regional do MDB, Daniel Vilela. A carta foi divulgada ontem, quarta-feira (10), e nela, o prefeito aclama que haja uma “abertura para um amplo entendimento que começa pelo gesto simples do perdão”. No trecho Iris se refere aos acontecimentos políticos que geraram luta interna no partido no período de eleição.    “Diante de impasses, jamais se pode abrir mão da abertura que possa resultar em conciliação, desde que estejam em jogo os interesses maiores da sociedade e das instituições”, escreveu Iris.   A carta surpreendeu o partido que, no atual momento, aprofunda o debate a respeito de possíveis expulsões na legenda de parlamentares que apoiaram a candidatura de Ronaldo Caiado (DEM), ao governo de Goiás ano passado. Entre os citados a serem, possivelmente, expulsos estão os prefeitos Adib Elias, de Catalão, Renato de Castro, de Goianésia e Paulo do Vale, de Rio Verde.

“Situações politicamente delicadas podem ser uma excelente oportunidade para demonstração de amadurecimento. A partir de suas próprias dificuldades internas, o MDB precisa gerar uma mensagem importante para a sociedade, tendo por base a reconciliação”, afirma o prefeito.   Iris falou ainda sobre disputa interna, ele afirma que  “a decisão firmada por prefeitos e lideranças do MDB durante as eleições, no sentido de apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado ao governo pelo DEM, constituindo-se uma dissidência, naturalmente trouxe grande incômodo nas hostes da legenda, uma conflagração que se arrasta até os dias atuais diante das expectativas de julgamento deste caso, por parte da Comissão de Ética do partido”.   O prefeito prega unidade dentro da legenda. Leia abaixo na íntegra a carta completa:

Senhor Presidente, 
Embora distante do debate político que se estabeleceu no MDB desde as eleições para o governo no ano passado, e, neste momento, apenas dedicado ao enfrentamento dos desafios de gestão na Prefeitura de Goiânia, me achei, contudo, no direito de fazer uma ponderação a respeito dos rumos de nosso querido partido em face de suas próximas decisões.  Como muito bem sabem os emedebistas e a população de Goiás, sou um homem forjado na persistência pelo diálogo enquanto a melhor via de resolução de conflitos e posicionamentos divergentes. Diante de impasses, jamais se pode abrir mão da abertura que possa resultar em conciliação, desde que estejam em jogo os interesses maiores da sociedade e das instituições.

O MDB se constituiu, ao longo de décadas, como a referência maior desta premissa calcada no equilíbrio, permitindo que o Brasil pudesse alcançar condições de governabilidade em tempos de sucessivas crises. O partido jamais cedeu às tentações para a confrontação. Firmou-se numa conduta cívica alicerçada em ações responsáveis, sempre a colocar os interesses nacionais acima de tudo, em permanente compromisso com a população.  O ódio jamais constrói. Pelo contrário, colabora de maneira explosiva para a desintegração social ao contaminar as relações institucionais e ao aprofundar situações que geram impasses e incertezas.

Como é da tradição do MDB, temos que persistir e primar pela conduta consequente, que fortaleça uma mensagem de desprendimento e desapego no que diz respeito à luta pelo poder, sempre tendo como norte as causas maiores da sociedade.  A propósito das posições assumidas durante a disputa para o Governo do Estado em 2018, infelizmente o que se verificou foi a grave divisão interna no MDB, tendo como ponto de discórdia o lançamento de uma candidatura própria ou o apoio a outra candidatura.

Sempre com posições claras a este respeito, na ocasião defendi que o partido se mantivesse fiel à sua trajetória de sempre participar das disputas majoritárias como cabeça de chapa. Afinal, somos uma legenda forte, arraigada no cotidiano da população, protagonista em todos os momentos de definições a respeito dos destinos de Goiás e do Brasil.  O meu apoio à candidatura de Vossa Excelência ao governo, portanto, revestiu-se de extrema coerência para com as posições que assumimos desde as origens, a partir da visão de que o MDB tem uma missão maior no âmbito político, no sentido de conduzir o debate responsável, construtivo e patriótico.

A decisão firmada por prefeitos e lideranças do MDB durante as eleições, no sentido de apoiar a candidatura de Ronaldo Caiado ao governo pelo DEM, constituindo-se uma dissidência, naturalmente trouxe grande incômodo nas hostes da legenda, uma conflagração que se arrasta até os dias atuais diante das expectativas de julgamento deste caso, por parte da Comissão de Ética do partido.  Uma decisão a respeito, contudo, reveste-se de grande complexidade política, em especial porque os ânimos ainda permanecem acirrados com a predominância, até aqui, de posições favoráveis à expulsão de importantes quadros do MDB, grandes militantes e dirigentes que conosco marcharam em memoráveis jornadas contra a ditadura militar e pela conquista das liberdades democráticas.

O nomes que são passíveis de julgamento também desempenham papel de relevo como gestores muito bem avaliados em seus municípios, além de serem líderes que contribuíram de maneira efetiva para o crescimento do MDB em Goiás e no Brasil.  Situações politicamente delicadas podem ser uma excelente oportunidade para demonstração de amadurecimento. A partir de suas próprias dificuldades internas, o MDB precisa gerar uma mensagem importante para a sociedade, tendo por base a reconciliação.  Em Mateus 18:20-22, Pedro se dirigiu ao Senhor, com a grande questão: “Até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete”. Em Efésios 4:32, outra mensagem muito afirmativa: “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo”.

Faço, portanto, uma conclamação para que todos os envolvidos nos acontecimentos políticos que geraram a luta interna no MDB tenham abertura para um amplo entendimento que começa pelo gesto simples do perdão.  Tenho absoluta certeza de que, a despeito das emoções provocadas pela dureza do debate, possam as partes iniciar um profícuo e duradouro diálogo, de modo a alcançar a sonhada unidade. Este é o grande caminho para que o MDB se mantenha forte, aguerrido e combativo, jamais permitindo que circunstâncias da conjuntura possam afetar a sua caminhada histórica.  Na minha idade, do alto dos meus 85 anos, creio ter reunido a suficiente experiência para sugerir um posicionamento fraterno e solidário por parte do conjunto partidário, por amor ao MDB e sua bela trajetória, por amor a Goiás e ao Brasil.

Iris Rezende Machado 



Desde o início da atual gestão municipal, a Prefeitura através de Secretaria de Promoção e Ação Social, dá total atenção e dignidade para famílias carentes e pessoas em situação de vulnerabilidade em Catalão.

Nesta época de baixas temperaturas, com o inverno mais rigoroso, uma importante iniciativa foi realizada novamente. Pelo menos 100 cobertores novos foram distribuídos como doação na cidade.  Nesta iniciativa, foram beneficiados os moradores de rua e pessoas em situação de vulnerabilidade social. Durante as noites desta semana, as equipes da Secretaria de Promoção e Ação Social, compostas inclusive por assistentes sociais, saíram às ruas e percorreram diversos pontos distribuindo os cobertores.  Os locais foram praças, portas de igrejas, proximidades da Represa do Clube do Povo, Parque Calixto Abrão, Posto JK, entre outros. Pontos estes já conhecidos e onde geralmente essas pessoas param para passar a noite.

Adriete Elias, Secretária de Promoção e Ação Social, disse que a distribuição de cobertores acontece todos os anos sempre nessa época e contempla aquelas pessoas que mais sofrem com o frio e que graças aos cuidados e atenção da Prefeitura Municipal, podem ter o conforto e se aquecerem com dignidade. “A sociedade tem que ser beneficiada pelos programas sociais que a prefeitura dispõe, principalmente aquelas que muitas vezes têm menos acesso e necessitam muito do nosso carinho e atenção.  Esse é um trabalho de humanização, que demonstra nosso respeito por todas as pessoas e o quanto município têm se dedicado a atender todas as demandas”, destacou a secretária. 

Fonte: ASCOM – Prefeitura de Catalão

Sair de férias é ótimo - mas, em algum momento, todo mundo quer voltar para casa. Será que é porque atingimos nosso ‘ponto de felicidade’?

Sair de férias é maravilhoso. Só de planejá-las já ficamos felizes. Sem contar que os dias de folga podem reduzir o risco de ataque cardíaco e depressão. E, quando voltamos ao trabalho, provavelmente estamos mais engajados e criativos.  Mas quantos dias devemos tirar? Será que podemos aplicar um conceito econômico chamado bliss point (ponto de felicidade ou ponto ideal, em tradução livre), para determinar a duração perfeita das nossas férias, seja festejando em Las Vegas ou acampando nas montanhas?  O conceito de "ponto de felicidade" tem dois significados diferentes, mas relacionados.

Na indústria de alimentos, quer dizer identificar a combinação perfeita de sal, açúcar e gordura para incluir nos produtos, de modo que fiquem irresistíveis e deixem os consumidores apaixonados.  Mas também é um conceito econômico que se refere ao nível de consumo em que ficamos mais satisfeitos, o pico a partir do qual qualquer consumo adicional nos deixa menos satisfeitos.  Com a comida, sabores distintos tendem a sobrecarregar o cérebro, o que pode diminuir nosso apetite, algo conhecido como "saciedade sensorial específica".

Quando se trata de música, nós arruinamos nossas músicas favoritas as ouvindo demais, mudando assim a forma como nossos cérebros reagem a elas.





É possível que, mesmo relaxando na praia ou desbravando novos lugares, a gente possa enjoar de uma sensação boa? 

Por que a dopamina é fundamental

Não dá para ter certeza, mas os psicólogos acreditam que a dopamina - um neurotransmissor responsável pela sensação de prazer que o cérebro libera em resposta a atividades humanas recompensadoras - desempenha um papel nisso.  As atividades recompensadoras podem incluir ações que sejam biologicamente significativas, como comer e fazer sexo, assim como estímulos como dinheiro, jogos de azar ou estar apaixonado.

A dopamina é conhecida por produzir um estado de bem-estar. E de acordo com Peter Vuust, professor de neurociência na Universidade de Aarhus, na Dinamarca, desbravar um novo lugar aumenta os níveis de dopamina, porque costuma desafiar as pessoas a se adaptarem a novos ambientes, culturas e rotinas.  Segundo ele, quanto mais complexa for uma experiência, maior é a probabilidade de ficamos "repletos" de dopamina.



Ele explica que a nossa expectativa em relação a experiências prazerosas aumenta os níveis de dopamina, assim como a sensação de familiaridade - voltar a um hotel ou lugar que você gosta, por exemplo. A superfamiliaridade, por outro lado, reduz o prazer à medida que ficamos entediados.

Novidade é bom
Há, no entanto, poucas pesquisas sobre o tema. Jeroen Nawijn, professor e pesquisador da Universidade de Ciências Aplicadas de Breda, na Holanda, diz que a maioria dos estudos sobre felicidade nas férias - inclusive o dele - analisaram viagens curtas de não mais do que duas semanas, uma vez que há poucos conjuntos de dados para estudar.  Sua pesquisa sobre o estado de espírito de 481 turistas na Holanda, a maioria em viagens de 17 dias ou menos, não encontrou evidências do chamado "ponto de felicidade". "Não acho que as pessoas alcançarão o 'bliss point' durante férias relativamente curtas", diz Nawijn.  Mas ele acredita que "definitivamente poderia acontecer em viagens mais longas". Existem algumas teorias de por que isso pode ocorrer. A primeira argumenta que simplesmente ficamos entediados, da mesma forma quando ouvimos a mesma música repetidas vezes.


Um estudo mostrou que entre um terço e pouco menos da metade do aumento da felicidade nas férias é proveniente da novidade ou da sensação de que os estímulos são diferentes da vida cotidiana.  Em viagens mais longas, há mais tempo para nos acostumarmos aos estímulos ao redor, especialmente se ficarmos em um único destino e praticarmos atividades parecidas - por exemplo, em um resort.
Então, mais uma vez, as pessoas podem simplesmente variar as atividades durante as férias para evitar o tédio. É possível aproveitar as folgas por várias semanas se tivermos liberdade e meios para escolher o que fazer, diz Nawijn.  

O que você faz importa
É verdade, sem dúvida, que a nossa percepção de felicidade durante o lazer depende se temos autonomia sobre as atividades que estamos realizando, de acordo com pesquisa publicada na revista científica "Journal of Happiness Studies".  O estudo mostrou que há vários caminhos para chegar ao "ponto de felicidade" neste caso, incluindo atividades que nos desafiam e proporcionam oportunidades de aprendizado, assim como as que têm propósito e significado, como o trabalho voluntário.  Se atividades distintas deixam pessoas diferentes felizes, então, os "pontos de felicidade" provavelmente são bastante individualizados, avalia Leaf Van Boven, professor de psicologia e neurociência da Universidade do Colorado em Boulder, nos EUA.

Ele acredita que as programações podem ser determinantes para os "pontos de felicidade" durante férias. Uma consideração importante, observa ele, é a energia física e psicológica necessária para realizá-las.  Algumas atividades são fisicamente exaustivas para a maioria das pessoas, como caminhadas nas montanhas. Outras, como cair na farra em Las Vegas, são cansativas mentalmente e fisicamente.

Van Boven acredita que se ficamos esgotados nas férias, "os pontos de felicidade podem ocorrer em níveis mais baixos do que as pessoas esperam".  Mas as diferenças individuais são enormes, aponta Ad Vingerhoets, professor de psicologia clínica na Universidade de Tilburg, na Holanda. Segundo ele, algumas pessoas podem achar que passar férias relaxando na praia é enfadonho, e vice-versa.



Escolha seu ambiente
Outro fator importante pode ser o ambiente em que passamos nossas férias. Uma cidade, por exemplo, pode ser estimulante. Mas a aglomeração de gente, o barulho e as luzes noturnas, capazes de afetar nosso sono, podem causar estresse físico, emocional e ansiedade.  "Os constantes estímulos nas cidades podem sobrecarregar nossos sentidos e nos estressar", diz Jessica de Bloom, pesquisadora das universidades de Tampere e Groningen, na Finlândia e na Holanda, respectivamente.  Isso é especialmente verdadeiro se também estamos nos adaptando a uma nova cultura que nos desafia.



Mas, novamente, as diferenças individuais são relevantes. Colin Ellard, professor de neurociência cognitiva da Universidade de Waterloo, no Canadá, diz que, embora algumas pessoas considerem as cidades opressivas, outras podem prosperar nelas.  Segundo ele, os moradores de cidades, por exemplo, podem se sentir mais confortáveis em férias urbanas, já que a pesquisa mostra que temos tendência a gostar de estímulos que são familiares.  Então, observa Ellard, pode ser que as pessoas da cidade estejam tão estressadas fisiologicamente quanto todo mundo, mas não estão cientes disso porque estão acostumadas com o estresse.  "De qualquer maneira, imagino que haja uma diferença demográfica no 'ponto de felicidade' das pessoas", diz ele. Mas a falta de pesquisa nesta área torna impossível ter certeza.

Fonte: G1



As polícias militar e civil de Catalão localizaram  corpo de um jovem que estava desaparecido em Catalão.


As Polícias Civil e Militar de Goiás através das equipes da 1a Delegacia Distrital de Polícia de Catalãoo/9a DRP, coordenada pelo Delegado de Polícia Vítor Magalhães, e do 18o Batalhão da Polícia Militar de Catalão – GPT/9 CRPM, comandada pelo TenCel PM Carvalho, em operação integrada, na noite de ontem (04 p/ 05.07.19), localizaram o corpo da vítima Allisson Carlos Bruno Teixeira e prenderam os suspeitos C.M.R.F.32 anos (possui antecedentes por lesão corporal, furto e tráfico de drogas), L.S.N.28 anos (possui antecedentes por receptação, tráfico de drogas e homicídio) e B. R. S. 25 anos, pela prática dos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.



Segundo o apurado, desde o dia 24.06 a vítima Allisson Carlos, 25 anos, natural de Goiânia-GO (o qual fora preso em flagrante nesta Comarca em 16.04.19 pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas), desapareceu ao sair de casa no fim da tarde. Sem nenhuma notícia de seu paradeiro, após serem acionadas por familiares (residentes em Goiânia), equipes das Polícias Civil e Militar passaram a buscar elementos que pudessem levar à elucidação do desaparecimento.



No final da tarde de ontem, 04.07, após diligências investigativas e oitivas de testemunhas “chaves”, a Polícia Civil chegou ao nome de três suspeitos: C.M.,  L.S.N, e B.S. ,Imediatamente a Polícia Civil representou pela decretação das prisões temporárias dos suspeitos, as quais foram autorizadas pelo Poder Judiciário, tendo então equipes da 1a DDP e do GPT/18 BPM iniciado diligências para a localização dos suspeitos e, de forma ordenada e eficiente, em menos de uma hora, realizaram as prisões dos investigados. Entrevistados de imediato dois dos três suspeitos, estes confessaram os crimes, levando a Polícia até onde haviam assassinado e ocultado o corpo da vítima.



O corpo estava em uma vala no cemitério dos coqueiros Após a localização do corpo, que foi recolhido ao IML local, os suspeitos foram interrogados formalmente na Depol e em seguida recolhidos ao Sistema Prisional. Durante as diligências, a Polícia Militar apreendeu porções de maconha na casa dos investigados, os quais foram autuados na Depol em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas.



As diligências continuam porque, segundo o Delegado de Polícia responsável pelo caso, Vítor Oliveira Magalhães, há pelo menos mais um envolvido nos crimes que, embora já identificado, ainda não foi localizado.  O Delegado de Polícia enaltece sobremaneira o apoio do Poder Judiciário e do Ministério Público pelo apoio e prontidão na análise das representações. De igual modo, parabeniza e elogia publicamente o empenho de todas as equipes da Polícia Militar e da Polícia Civil envolvidas nas diligências desde o desaparecimento da vítima, cujo empenho de todos foi imprescindível para a elucidação do caso em curto prazo, trazendo resposta à população de Catalão e alento aos familiares da vítima.


O condutor de uma motocicleta, um homem de 31 anos, se feriu  em um acidente na Av. Raulina F. Paschoal em Catalão.
 
O acidente foi registrado na noite da última terça-feira,2, envolvendo um GM Celta, e uma moto Honda/CG.     O condutor da moto (mototaxista)  foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Pronto Socorro da Santa Casa de Catalão com ferimentos. 
Reportagem: Luiz Cláudio Elias

Fonte: Blog da Verdade



Moradores de Catalão  têm evitado a água das torneiras por medo de contrair virose.

Vários casos já foram registrado na  cidade.  “Não uso nem para fazer café. Sabemos que a causa é a água, pois ela está suja”, afirma a dona de casa Eva Rodrigues Antunes, por exemplo. No entanto, funcionários da Unidade de Pronto Atendimento de Catalão  (UPA)  disseram à reportagem do Blog Diante do fato ,  que 20 pessoas são  notificadas por dia com virose em Catalão.

Enquanto não há uma comprovação na relação água da torneira e doença, a dona de casa Eva Rodrigues, moradora da Vila União prefere gastar com a compra de galões de água do que com medicamentos. “Virose é o que mais tem na cidade, por isso eu não uso a água da torneira para preparar a comida, nem para fazer um café”, explica.

Os filhos da dona de casa Nilceia Aparecida  foram parar no hospital com sintomas de virose, ela conta que na escola onde os dois estudam mais mães se queixaram do mesmo problema.  “Eles estavam com diarreia e vômitos, os dois ao mesmo tempo. Ficaram durante uma semana assim, foi horrível”, conta.

Os sintomas mais comuns de uma virose são:  Vômito; Diarreia; Desidratação; Dores no corpo; Febre. Orientações  Os sintomas da virose são bem parecidos com os da dengue, por isto é importante procurar um médico para ter um diagnóstico exato.

Nos casos de virose, as orientações de médicos são:
Tomar analgésicos e antitérmicos (prescritos por um médico); Tomar água limpa; Tomar água de coco; Isotônicos; Soro caseiro (1 litro de água, 1 colher (sopa) de açúcar e 1 colher (chá) de sal).

Fonte: diante do fato



Na tarde desta terça-feira 02/07, equipes do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) do 18º Batalhão, em operação conjunta com o serviço de inteligência de Minas Gerais e Goiás, desarticularam Associação Criminosa especializada em Roubo de veículos no triângulo mineiro.
 

Na ação policial foram presos em flagrante dois infratores, naturais de Minas Gerais, sendo uma mulher de 20 anos que conduzia o veículo roubado na data de 01/07 na cidade de Patrocínio-MG e um homem de 28 anos que seria responsável em repassar o veículo a um terceiro para ser implantado em um veículo batido.  A S10 de cor Branca foi roubada com grave ameaça e emprego de armas de fogo, e foi abordada pelas equipes policiais do 18ºBPM no Bairro JK.

Segundo relato dos autores, ambos receberiam o valor de R$ 1000,00 como prêmio no momento da chegada do veículo roubado no ponto de entrega definitivo.  O suspeito de 28 anos possui vasta ficha criminal pelos crimes de Homicídio, Roubo e Receptação.  Diante das circunstâncias, os infratores e o veículo roubado foram encaminhado a presença da Autoridade policial para as devidas providências.

Fonte: Catalão Urgente



O Ministério Público de Goiás, por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Catalão, está exigindo na Justiça que a empresa Niobrás Mineração Ltda.

promova o descomissionamento (desativação) da Barragem de Rejeito 1A, no prazo de até 30 dias. Ao Estado de Goiás, também réu, foi requerida a proibição de conceder licença de instalação da obra de alteamento das Barragens de Rejeitos 1A, 1B, 2A e 2B, caso esteja em análise, e a sua suspensão caso tenha sido concedida.   À Niobrás, é pedida ainda a determinação para que remova, até o dia 15 de agosto deste ano, as instalações de atividades administrativas, de vivência, de saúde e de recreação situadas à jusante (abaixo) das barragens de rejeitos. Os pedidos foram feitos em ação civil pública proposta pelo promotor de Justiça Roni Alvacir Vargas, diante da recusa da empresa em firmar um acordo extrajudicial, por meio de termo de ajuste de conduta.

Conforme detalhado na ação, as barragens possuem alto dano potencial associado, inclusive com possibilidade de atingir dezenas de funcionários que trabalham em instalações situadas à jusante das barragens. O dano potencial associado é aquele que pode ocorrer devido ao rompimento ou mau funcionamento de uma barragem, independentemente da sua probabilidade de ocorrência, com possibilidade de perda de vidas humanas e sérios danos sociais, econômicos e ambientais.   A Niobrás é a segunda maior produtora de nióbio do mundo, sendo responsável pela extração do mineral a partir da mina em Catalão e, posteriormente, o nióbio segue para a usina de beneficiamento em Ouvidor. De acordo com Plano de Ações Emergenciais da empresa, em caso de rompimento das barragens, a onda de rejeitos atingirá o vale à jusante das barragens, local onde se situa um córrego, até a confluência com o Rio São Marcos, totalizando aproximadamente 22 quilômetros de curso de água.

Análise técnica O promotor apresenta ainda dados de vistoria feita pela Agência Nacional de Mineração (ANM) no local, a qual avalia que as barragens possuem alto dano potencial associado e baixo risco. Além disso, fiscalização realizada pelo Centro Técnico Ambiental da Polícia Militar de Goiás, em fevereiro deste ano, sugeriu diversas medidas preventivas ou reparadoras.   Os técnicos esclareceram ainda que alteamento a montante (método que a empresa pretende continuar realizando) é o mais barato e menos seguro para construção de barragem de rejeitos. De acordo com o promotor, independentemente dos métodos de alteamento das barragens de rejeitos, existem tecnologias alternativas, como processos que tornam o rejeito seco. “Porém, devido ao custo mais alto para produção nesse sistema, as mineradoras resistem à sua implantação”, sustentou.

Para Roni Vargas, o que agrava a situação das barragens de rejeitos da Niobrás e deve ser considerada para análise do pedido de liminar diz respeito a provável erro de concepção de suas instalações industriais construídas à jusante das barragens, onde trabalham dezenas de funcionários. Ele ressaltou ainda que, depois da tragédia de Brumadinho, a ANM e o Ministério da Economia baixaram normas proibindo instalações industriais com presença humana situadas à jusante de barragens de rejeitos das mineradoras. (Texto: Cristina Rosa / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – foto: Google Earth)

Acompanhe o vídeo e veja fotografias de satélite de 1984 à 2019. O crescimento das barragens de rejeito são exorbitantes e preocupante!
 
Até onde ocorrerá o crescimento de tais barragens? Até quando será permitido a exploração de recursos naturais e o descarte destes rejeitos? Até quando estas barragens suportarão a atividade de descarte? Será que iremos ver novamente o filme de desastres provocados por rompimento de barragens em nossa cidade? São muitas as perguntas….


 
Nos dias 10/06/2019 e 11/06/2019 a Defesa Civil do estado de Goiás e a mineradora CMOC Brasil, realizaram simulados de emergência em suas barragens de rejeitos. São as barragens de rejeitos de Nióbio e Fosfato. Os simulados fazem parte do plano de ação de emergência em barragens de mineração, e seu objetivo é fazer testes em seus recursos, tais como rotas de fuga e pontos de encontro que compõe a ZAS, além de testar o tempo de resposta da população.


Confira detalhes do nosso lado escuro, retratada por trechos do livro: Herança de Sangue, de Ivan Sant'Anna.
 
Desde sua fundação por bandeirantes paulistas até meados do século XX, Catalão, atualmente próspera cidade do interior goiano - era o lugar mais perigoso do Brasil para forasteiros desavisados. Histórico ponto das mais variadas espécies de aventureiros em busca de enriquecimento rápido, a localidade foi cenário de terríveis massacres e disputadas políticas de lances cinematográficos.

Os pistoleiros e valentões catalanos eram famosos em todo vale do rio Paranaíba, e ainda mais além, por sempre resolver as discussões, até as mais irrelevantes, no tiro ou na faca. Assassinatos cometidos para solucionar questões de ‘’honra’’ também vitimaram gerações e gerações de famílias rivais, envolvidas numa selvagem espiral de vingança. Neste relato real, mas que parece ter saído das melhores páginas de ficção, Ivan Sant’Anna reconstitui a assombrosa saga de violência da cidade, construindo uma narrativa tão envolvente como um bom filme de faroeste.

Para visualizar mais conteúdos históricos acesse o endereço:
https://www.folhadecatalao.com/p/nossa-historia.html



Para o candidato a governador Daniel Vilela (MDB), o sentimento não só da oposição do governo de Ronaldo Caiado (DEM), mas geral, é que falta um norte na administração de Goiás.

“A oposição não tem cobrado realizações que seriam impossíveis em seis meses. Mas o governo é reativo, sem iniciativa. Letárgico, lento”.
Para o também presidente do MDB estadual, o governo não sabe o que faz com a questão fiscal, que seria o principal problema de Goiás, atualmente, conforme Vilela. “Não tem planejamento de ações que vão solucionar o problema do Estado”.

Fonte: Catalão Urgente

Imagem aérea da mineradora Niobrás, em Catalão.

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) está exigindo na Justiça que o Estado de Goiás seja proibido de conceder nova outorga do uso de água para as atividades minerárias das empresas Niobrás e Copebrás, nos municípios de Ouvidor e Catalão. É requerido que esta determinação se mantenha por até 6 meses, prazo solicitado pelo MP-GO para que as mineradoras implantem redes hidrométrica ou telemétricas para o monitoramento em tempo real das captações e vazões das águas subterrâneas e superficiais com uso outorgados.

Segundo detalhado na ação pelo promotor de Justiça Roni Alvacir Vargas, a investigação do MP-GO teve início em 2014 após denúncia anônima apontar possível impacto causado pelos inúmeros poços artesianos que estariam sendo abertos nas regiões das duas empresas, o que estaria ocasionando secamento do Córrego Fazenda Lagoa. Na apuração dos fatos, as empresas apontaram as 13 outorgas concedidas pelo Estado de Goiás, utilizadas pelas empresas para seu processo industrial.

Ocorre que a Gerência de Outorgas da então Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semarh) admitiu que não monitora a vazão dos cursos hídricos e das águas subterrâneas nas bacias onde estão localizadas as duas empresas. Para o promotor, apesar de sua competência para conceder outorga de uso de água, o Estado de Goiás não está cumprindo de forma eficaz e satisfatória o seu dever fiscalizatório, “pois não monitora a captação de água de seus cursos hídricos e aquífero, muito menos, a vazão mínima a ser mantida para assegurar o uso múltiplo da água, não sendo razoável valer-se, exclusivamente, das informações e dados fornecidos pelas empresas”, sustentou.

Ele acrescenta que é objetivo da Política Estadual dos Recursos Hídricos, previsto no artigo 2º da Lei Estadual nº 13.123/1997, “assegurar que a água possa ser controlada e utilizada de forma satisfatória por todos os usuários”, resultando de forma cristalina que o Estado de Goiás não está cumprindo o seu papel.


Análise técnica   Durante a apuração foram solicitadas perícias técnicas, elaboradas por analistas ambientais do MP-GO, as quais apontaram que não havia comprovação nos autos de que documentos relativos à influência das minas na profundidade do aquífero tinham integrado os processos de outorga dos poços artesianos. Além disso, os peritos observaram que a documentação apresentada sobre a profundidade do aquífero versa apenas sobre a região do Domo II, no município de Catalão, onde está localizada a mina Boa Vista, e onde há apenas um poço artesiano. Os demais poços estão na região do Domo I (divisa entre os municípios de Catalão e Ouvidor), de onde não foram apresentados dados sobre a profundidade do aquífero.

Para o promotor, é preocupante a não apresentação, pelas empresas, de estudos técnicos idôneos que comprovem não haver relação entre a atividade mineradora e rebaixamento do lençol freático da região atingida, direta e indiretamente, no Domo I e Domo II, apesar do decurso de mais de 4 anos e 6 meses de investigação. Também não foram apresentadas análises referente aos possíveis impactos causados nos trechos das águas superficiais situados a jusante das atividades minerárias para aferição da vazão mínima a ser mantida, conforme previsto no artigo 28, da Resolução do Conselho Estadual de Recursos Hídricos nº 9/2005.

É ponderada ainda a necessidade de elaboração do Plano Estadual de Recursos Hídricos para o triênio 2017/2020, o qual exige uma revisão das outorgas de uso de água superficial e subterrânea concedidas às empresas Copebrás e Niobrás, diante do quadro de inexistência de enquadramento legal dos cursos hídricos atingidos; inexistência de definição dos usos prioritários de cada curso hídrico; e da autorização de outorga do uso de água durante todo o período do ano, sem distinção entre os períodos de estiagem e chuvas.

Por fim, o promotor argumenta que deve ser assegurada transparência e publicidade ao uso dos recursos hídricos pelas mineradoras, mediante a disposição de todos os documentos técnicos relevantes que embasaram as decisões de autorização de uso de água, de forma a serem extirpadas todas as dúvidas sobre a regularidade dos processos de autorização de outorga de uso de água às empresas.


Pedidos   No mérito da ação, é requerida a suspensão da Portaria Semarh nº 917/2010 -outorga de uso de água do Córrego Capoeira, tendo em vista que já foram transcorridos 3 anos sem uso. É pedido ainda a imposição ao Estado de revisão, por meio de seu órgão competente, no prazo de 6 meses, de todos os processos de concessão de outorga de uso de água de sua competência, das empresas Niobrás e Copebrás, para verificação de sua adequação à legislação federal, estadual, ao Plano Estadual de Recursos Hídricos (PERH) e ao Plano da Bacia Hidrográfica.


É pedido ainda que o Estado realize, no prazo de 6 meses, o enquadramento legal dos cursos hídricos que compõem a Bacia Hidrográfica dos Rios Corumbá, Veríssimo e porção Goiana do Rio São Marcos e que são atingidos pela atividade minerária das empresas Niobrás e Copebrás, com definição dos usos prioritários. Outra requisição é para que seja implantado, no prazo de 6 meses, os instrumentos normativos necessários à cobrança pelo uso de água pelas mineradoras, considerado o grande volume utilizado nas atividades minerárias industriais. 

Escrito por: Redação/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO

Um motorista foi preso na madrugada de ontem (segunda-feira, 24/06), após colidir o carro em uma lanchonete, no Jardim Primavera, em Catalão. O fato foi registrado por volta das 4h00, na Rua das Hortências.

De acordo com informações, a PM foi acionada pelo proprietário que mora próximo ao local, ele relatou aos policiais que estava dormindo, quando acordou com o barulho. E ao verificar constatou que o motorista de um veículo, perdeu o controle direcional vindo a colidir no estabelecimento comercial, e que o motorista permanecia ainda dentro do veículo.



Quando os militares chegaram no local, foi averiguado que um VW Golf placa de Sao Paulo/SP havia colido contra o estabelecimento comercial. O motorista tentou fugir, porém o veículo nao deu partida.


No acidente ninguém ficou ferido, houve somente danos matériais. O preso, de 30 anos, recusou a realizar o teste no Etilometro, sendo realizado o Termo de Constatação de Alcoolemia, ele foi levado à Central de Flagrantes da Delegacia de Polícia de Civil de Catalão para procedimentos cabíveis, tendo o delegado plantonista arbitrado fiança no valor de R$1.000,00 (Um mil reais).


O veículo foi recolhido ao pátio do 18° Batalhão da Policia Militar.

Fonte: Zap Catalão



Na noite desta segunda-feira (24/06/19), equipes da Polícia Militar abordaram um indivíduo de 24 anos em atitude suspeita no Bairro Cruzeiro.
 
Durante a abordagem verificou- se que ele estava usando tornozeleira eletrônica e descumpria as medidas judiciais impostas para que pudesse ter o benefício do uso da daquele equipamento, algo que enseja prisão e recolhimento ao cárcere.  Por este motivo, foi recapturado o infrator, que cumpria pena pelo crime de Roubo, e foi recolhido ao presídio.

Fonte: 18° BPM


Um grave acidente de trânsito foi registrado na noite deste domingo (23/06), na Avenida Raulina Fonseca Paschoal, no Centro de Catalão.

O acidente envolveu uma motocicleta e um carro, e devido ao impacto, a mulher que estava na garupa da motocicleta veio a óbito ainda no local. Já o condutor da motocicleta teve uma fratura fechada no braço esquerdo, sendo realizado os procedimentos de primeiros socorros imobilizado e foi encaminhado ao Pronto Socorro da Santa Casa.  

O acidente aconteceu por volta das 18h40, deixando a mulher identificada como Sunamita Reis Duarte, sem vida.



Uma equipe do Corpo de Bombeiros esteve no local, e confirmou o óbito de Sunamita Reis. Também esteve na colisão uma equipe do 18° BPM, os militares isolaram a área do ocorrido e em seguida acionaram os Policiais Civis para realizarem os procedimentos cabíveis.



O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para recolher o corpo, o caso será investigado pela Polícia Civil.


Fonte: Blog de Olho na Cidade


Na tarde deste domingo (23), uma equipe da Polícia Militar, que patrulhava nas imediações da Praça do Setor Universitário, avistou um veículo em atitude suspeita com dois indivíduos em seu interior, por isso realizou abordagem policial no veículo e nos dois ocupantes. 


Em cima do banco do passageiro foram localizadas duas porções de Maconha, pesando mais de meio Kg que, segundo um dos traficantes, estava sendo levada a um comprador.  Sendo assim, foi apreendida a Droga e o veículo utilizado para seu transporte, e foram presos os dois indivíduos, um de 22 e outro de 28 anos.

Fonte: Blog de Olho na Cidade

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget